Macarons - São Italianos ou franceses?

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Conhecidos pela sua massa de amêndoas e pela sua dificuldade de ficarem perfeitos (são pouquíssimos aqueles que conseguem fazer uma fornada de macarons sem que eles não estourem, ou fiquem crus, ou tortos), são uma iguaria delicada, digna da realeza desde há
muitos séculos atrás..

Apesar da maioria das pessoas acreditarem que os Macarons tiveram origem em França,
diz a lenda que os macarons surgiram em Itália no século XVI. Mas, nesta altura, eles
eram confeccionados sem recheio, mas apenas como uma bolacha requintada.
Chegaram a França em 1533 quando os chefes italianos de Catherine de Médici, Rainha
de França, levaram a receita para o seu casamento com Henry II. No século XVII os
macarons ficaram nas mãos das Carmelitas que seguiam o ideal que “Amêndoas são boas
para as jovens que não comem carne”.
Na Revolução Francesa, eles voltam a aparecem com duas freiras, que, depois de perderem
o seu convento passaram a morar com uma família que gentilmente as acolheu. E, como
forma de agradecimento, elas desenvolveram a receita dos biscoitos de amêndoas que,
ao fazerem um enorme sucesso, passam a ser conhecidas Souers Macaron (Irmãs Macaron).


As Irmãs Macaron faziam questão de guardar a receita em segredo e após a sua morte,
muitos tentaram descobrir qual a fórmula secreta dos biscoitos, mas só no século XIX,
Pierre Desfontaines, desvendou o segredo!
Por questões burocráticas de direitos autorais, e para conseguir vender o produto, altera a
receita original, ao colocar recheio no meio de dois biscoitinhos.
Pierre Desfontaines, chefe da Pâtisserie Francesa Ladurée, tornou o  ex-biscoito num
enorme sucesso mundial. A Ladurée transformou os Macorons em Tradição parisiense e,
hoje em dia, é tão importante comer um Macaron em Paris como visitar a Tiffany em Nova
York.



Sem comentários:

Publicar um comentário